}

terça-feira, 31 de março de 2015

Uma análise psicológica de Christian Grey



Hei pessoal! 

Hoje vim aqui escrever um pouquinho sobre uma das trilogias mais comentadas da atualidade, que recebe tanto críticas positivas quanto negativas. Porém, não vim falar bem ou mal do livro, mas sim fazer uma análise e expor algumas características do queridinho da mulherada: O Sr. Christian Grey!

Primeiramente fazendo um breve resumo da história dos 50 tons, Temos o casal Anastasia e Christian, que se se conhecem por acaso em uma entrevista ao qual Anastasia (Ana) faz no lugar de sua amiga. 

Ana é uma garota simples, que trabalha para pagar os estudos e considera o padrasto como um verdadeiro pai e acaba até dando mais importância a ele do que à sua própria mãe. Uma menina normal, comum e sim, bem inocente e por vezes até infantil (ora, quando eu tinha a idade da Ana, 21 anos, eu tinha as mesmas atitudes dela, sem tirar e nem por; costumo chamar essa idade de adultescência- Uma fase de transição entre a adolescência e a fase adulta; Alguns chamam as pessoas que estão nesta fase de ADULTO JOVEM)

Prosseguindo, Ana não tem muito o apoio de sua mãe que por vezes está mais envolvida com seu namorado do que com a própria filha. Por isto quer se tornar uma pessoa independente, lutando por seus interesses sozinha, sem o apoio ou auxilio de ninguém. Vejo Anastasia como uma menina que se torna mulher a cada página virada. 

Maaaas,vamos ao que interessa!

Sr. Christian Grey:


Solteiro, 28 anos, CEO e dono de uma das maiores companhias dos EUA. Só isso que temos a respeito do Sr. Grey? Inicialmente sim, o máximo que conseguimos tirar das páginas iniciais é que Sr. Grey possui práticas peculiares. Mas vamos avançar um pouco. 

No decorrer da trilogia temos mais dados a respeito das práticas peculiares e sobre a infância do protagonista. Christian admite ser um homem sádico mas ao se deparar com o amor que sente por Ana entra em conflito quando percebe que machucá-la irá afastá-la dele. 

Mas como Christian se tornou sádico?

*ATENÇÃO:A PARTIR DESTE PONTO CONTÉM SPOILER DE TODOS OS LIVROS!*

Um pouco da história do Sr. Grey: 

Christian teve uma infância muito difícil. Filho de uma mãe drogada e prostituta, foi um menino que não teve alternativas até que a morte da "prostituta drogada" (maneira como e refere à mãe biológica) lhe proporcionou uma nova possibilidade de mudar o futuro. 

Vamos aos fatos: quando a mãe biológica de Christian morre, ele tem 5 anos de idade, era apenas um menino e não sabia o que era morte até então. Preso dentro de um quarto com a mulher morta, o menino acredita que a mãe está apenas dormindo. Passam-se dias até que a polícia o encontra  há muito tempo sem se alimentar, junto ao corpo da mãe. 

Desnutrido, machucado, cheio de marcas pelo corpo devido a queimaduras constantes de cigarro, Christian vê sua vida mudar da água para o vinho. É adotado por um casal com ótimas condições financeiras e que proporciona ao garoto tudo o que havia lhe faltado até então, inclusive o amor dos pais. Até se acostumar com esta nova vida, não conseguiu se aproximar dos pais adotivos e sempre distante sua única saída era tocar piano. 

Na adolescência, Christian começou a se tornar violento, tendo alguns problemas com isso, mas uma amiga de sua mãe, que o achava muito bonito, apresentou-lhe o sadomasoquismo. Ai você pergunta O QUÊ? É isso mesmo produção. uma amiga da mãe de Christian, casada, se apaixona por um rapaz de 16 anos e lhe apresenta o sadomasoquismo, onde ele aprende primeiramente as regras da submissão para posteriormente se tornar um dominador sádico. 

Apresentados os fatos vamos à análise!

Para começar, vou lhes apresentar o verdadeiro significado de recalque! Mas Amanda eu sei o que é recalque, é algo similar à inveja não é? Nãããão, tire esse significado de senso comum de letras de funk dos seus pensamentos!

Na psicanálise, recalque é um mecanismo de defesa do indivíduo que funciona de forma repressora às ideias incompatíveis com o Ego. Essas ideias são armazenadas no inconsciente e só podem ser acessadas através de análise ou por meio de sonhos.

Mas o que isso tem a ver? Bom, Todos passamos pelo complexo de Édipo, tenho certeza que já ouviram falar sobre isso, e este como o próprio nome diz é um processo complexo ocorrido aproximadamente aos 5 anos de idade em todos os indivíduos. É durante este período que ocorre a repressão das ideias conscientes do sujeito e a identificação com pai ou a mãe (pressupõe-se que a criança se identifique com um adulto do mesmo sexo, porém na atualidade isto está muito relativo devido às formações das famílias terem se alterado). 

Através das informações acima, podemos observar que Christian tinha 5 anos quando a mãe morreu, justamente quando passava pelo complexo de Édipo. Desta forma, suas memórias e lembranças com relação a esta mãe foram recalcadas através do próprio complexo de Édipo, o que o permitiu com que se lembrasse apenas de momentos muito marcantes da sua vida antes dos 5 anos e "esquecesse" todo o resto. Coloquei esquecesse entre aspas porque a palavra certa é recalcar e não esquecer visto que as lembranças continuam ali, porém não na consciência, mas sim no inconsciente.

Christian, por mais que se sinta um homem realizado financeiramente, ainda é atormentado por este passado. Quando se lembra de sua mãe  biológica, pensa nela sempre como sendo algo ruim a ele,  alguém que o prejudicou e o machucou. Ele não aceita que por mais que ela tenha sido negligente com o filho, eles se amavam pois tinham somente um ao outro.

Quando o menino se lembra apenas das coisas que mais lhe marcaram (como por exemplo a negligência da mãe em deixá-lo com fome ou permitir que pessoas apagassem cigarro no garoto), o mesmo acaba por nutrir um sentimento ruim com relação a esta mãe, uma raiva que ele não consegue reprimir (que por sinal é totalmente justificada). É neste ponto que a personagem se torna violento e acaba encontrando a amiga de sua mãe adotiva que o apresenta o sadomasoquismo e a relação dominação/ submissão.

Com isso, Christian encontra uma forma de lidar com esses sentimentos, descontando essa raiva que ele sentia da mãe em suas submissas, colocando regras extremas, cuidando da saúde, alimentação e corrigindo (batendo, punindo) quando necessário. Essas atitudes do protagonista mostram que por mais que ele faça terapia ainda há muitos pontos a serem discutidos pois, pelo fato de todas as suas submissas parecerem com sua mãe biológica, é como se ele quisesse uma inversão de papéis, fazer com elas tudo o que sua mãe NÃO fez a ele: cuidar, corrigir, proteger, alimentar e amar (o que ele consegue apenas com Anastasia)

Chegamos a um ponto muito polêmico da discussão visto que todas as submissas anteriores á Anastasia se pareciam com a mãe biológica. Será que podemos dizer que ele tinha uma relação incestuosa com elas? Ora, se no pensamento de Grey as submissas estavam assumindo o papel da mãe que ele poderia cuidar e se vingar, e estava fazendo sexo com elas então é como se ele estivesse tendo relações sexuais com a mãe dele!

Bom... é mais ou menos isso. Christian sabia que aquelas mulheres não eram a mãe dele, mas por assumir o papel que ele queria que elas assumissem ele não poderia se apaixonar ou ter um relacionamento com uma delas e isso persiste até que conhece a Anastasia.

Ana não se coloca no papel que ele gostaria que ela estivesse. A protagonista até pensa sobre isso, e tenta ser quem ele deseja, mas a personalidade dela é mais forte, o querer dela é mais forte e por isso ela acaba não se encaixando como submissa. Isso faz com que Christian se apaixone por ela e veja que ele não a consegue controlar, e que ele também pode ser cuidado. 

Conforme Christian percebe que nem todas as mulheres são negligentes como sua mãe biológica, começa a se abrir para o amor e perceber que a mulher a quem ele ama, ele não se permite machucar.

Anastasia, de menina passa a ser mulher que tem que lidar com o temperamento forte de Grey ajudando-o  a se livrar de seus traumas e conflitos.


Bom pessoal, espero que tenham gostado da análise! Gosto de tudo tirar um proveito maior, tudo sempre tem seu lado positivo e o negativo e sem dúvida o lado positivo desta trilogia é o desenvolvimento da história! Com certeza tinha muitas coisas mais a serem ditas mas iria ficar escrevendo até amanhã aqui, mas acho que consegui tirar o essencial de tudo. 

Um grande beijo e até a próxima!
  


18 comentários:

  1. caraca garota mandou bem...esse foi o texto mais bacana que li até hoje sobre 50 tons,sem criticas detonando o livro ou quem curte esse tipo de leitura...parabens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Regiane. Obrigada por ter tido paciência de ler todo o texto! Rs
      o que acontece muito é que as pessoas lêem uma parte do livro e já se sentem boas o suficiente para fazer uma crítica sobre ele. Outras pessoas lêem tudo mas não sabem ler as entrelinhas! Essa foi a muminha leitura das entrelinhas da trilogia!

      Excluir
    2. Foi ótimo, acho que foi tudo que eu precisava ler. Tive um grande pré conceito sobre essa saga, mas tudo mudou recentemente quando comecei a ler Grey, e precisava de opiniões mais profundas sobre os livros na visão de Anastasia. Este texto foi esclarecedor.

      Excluir
  2. Olá Amanda, eu li os três livros, li com a mente aberta para ver se gostava de algo... bem achei todos muito fracos. Mas o seu texto me deu outro ponto de vista, achei muito legal o que você escreveu, mas mesmo assim ainda não me sinto muito atraido pelos livros XD
    Parabéns pelo post
    Abraços
    www.pontoparaler.com.br

    ResponderExcluir
  3. Arrasou, Amanda! Gostei de verdade, inclusive, da forma leve e descontraída que caminhou com as teorias! (Eu RI na parte que fala do recalque)! Sucesso, lindona!

    ResponderExcluir
  4. O mercado livreiro é uma grande confusão... mas gosto é uma coisa , não sou ninguém para criticar qualquer autor... mas pra minha concepção é sub-literatura

    ResponderExcluir
  5. Amanda,
    Amei a sua análise !! Poderia ter escrito mais.
    Li várias coisas por aí, principalmente de feministas crtiticando o fato da Ana poder amar e desejar tanto quem a machuca. Vi o filme primeiro e fui correndo atrás dos livros, porque leitora como sou, sei que em geral, os livros são normalmente melhores que os filmes. Filme é muito mais visual (imagem já vem pronta e até tem trilha sonora), e o livro tem outra perspectiva, nos permite imaginar... Atualmente estou lendo o primeiro livro da trilogia,- a pedidos de muitas alunas - e nessa primeira leitura, confesso que me "apaixonei"(rs) pelo sr. Grey, apesar de perceber o quanto é sombrio seus "porões internos"... e sei que como sou "cascuda", farei uma segunda leitura - menos apaixonada - procurando um prisma diferente, mais crítico e psicológico dos personagens. (Não sou terapeuta formada, mas gosto de analisar perfis, e com certeza farei ainda nesta minha vida um curso de Psicologia e/ou Pscanálise). Tenho formação acadêmica em Letras, sou professora de Literatura.
    Parabéns pela sua análise, amei mesmo !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Silvia! Obrigada por ter dedicado um pouquinho do seu tempo em ler a análise! Muitos que leram esse livro conseguem perceber apenas a parte 'caliente' dizendo ser pornográfico. Acredito que fui um pouquinho além, com a minha mania de tentar ver sempre coisas boas nos livros independente de gênero. Claro que minha formação também ajudou um pouco, rs. Com certeza este é um livro para se ler e reler diversas vezes, é uma pena que o meu esteja emprestado.rs

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amanda !!! Como você disse as pessoas se apegam muito ao lado 'caliente' da história e não conseguem distinguir a pornografia do erotismo, e tem muuuita diferença. O que temos em Cinquenta Tons é um conto/romance erótico e não pornográfico, porque temos uma história apimentada, é claro, porém temos um contexto, um porquê do protagonista agir da forma que age. E o efeito Grey na mulherada é um espanto. Antes de ler a trilogia, uma prima minha fez um comentário: "sobre ter demorado para se curar do Cristian Grey", e eu achei que era exagero, mas agora entendo perfeitamente!!! rs
      Amei a sua análise, viu?
      E vou reler agora fazendo um estudo sobre os perfis.
      E se você tiver algum estudo sobre o assunto, analisando o efeito desse tipo de literatura na mulherada pelo ponto de vista acadêmico e quiser partilhar comigo,eu adoraria ler. Beijinho

      Excluir
    2. Silvia! Fico imensamente feliz por você ter lido a análise e entendido o meu ponto de vista. Pelo visto pensamos da mesma forma com os livros eróticos. Os críticos podem falar o que quiserem, mas EXISTE uma história por trás do erotismo e dominação do Christian. E o mais interessante é que a autora coloca isso dentro de sonhos ou trechos à parte mostrando como Christian se tornou quem ele é na atualidade. O que não acontece em muitos livros onde as personagens são o que são e não sabemos como se tornaram incontroláveis, inconsequentes, agressivas. Elas simplesmente são daquele jeito e o autor não se dá ao trabalho de explicar o porquê, causando grande antipatia no leitor. Infelizmente ainda não tenho um estudo acadêmico sobre os efeitos desse tipo de literatura na mulherada, mas é um bom tema para pesquisas!!
      Beijocas :*

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Arrasou amigaaa!!! Parabens...adorei a análise, e por ouvir sempre vc e outras pessoas me explicarem esses processos deu pra sacar o que acontece..continua assim gataa!!! bjooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aeee! Que bom que gostou!! Na verdade essa foi a visão que tive do livro e foi basicamente por isso que me apaixonei pela história!! Não conseguia parar de ler pensando nos traumas de infância do Christian!

      Excluir
  9. Nossa, muito muito bom. Adoreeeeeei.
    Escreve mais sobre o Christian, por favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Paula! O que você gostaria de ler sobre o Christian?

      Excluir
    2. Oi Amanda!! Qualquer coisa que você queira escrever! Com o livro "Grey" dá para saber muito sobre como o Christian pensa, mas essa sua análise foi sensacional! Parabéns mais uma vez!

      Excluir
  10. Nossa finalmente consegui ter uma ideia do que pode passar na cabeça dele. Obrigada por consegui esclarecer e finalmente me tirar essa dúvida que eu não conseguia entender a relação das submissão com a mãe dele, agora entendi.

    ResponderExcluir