}

sábado, 30 de janeiro de 2016

[RESENHA] O Estranho Caso de Benjamin Button, F. Scott Fitzgerald

Por Amanda Medeiros 


O Estranho Caso de Benjamin Button
F. Scott Fitzgerald 
Ano: 2009 / Páginas: 80
Idioma: português 
Editora: Presença

F. Scott Fitzgerald teve uma actividade literária prolífica e celebrizou-se com romances como O Grande Gatsby, já publicado pela Presença, e Tender Is the Night, além de cerca de 160 short stories. O Estranho Caso de Benjamim Button foi publicado em 1922 e foi uma das histórias fantásticas através da qual o autor recolheu o aplauso unânime da crítica. Neste conto comovente onde o humor é uma nota dominante, Fitzgerald criou a história de um homem que desafia as leis naturais da vida ao nascer velho e com o passar dos anos em vez de se tornar ainda mais idoso, assiste progressivamente ao rejuvesnecimento do seu corpo e mente até terminar a vida sob a forma de uma criança. Com setenta anos, sofre a incompreensão por parte do pai que procura por todos os meios camuflar a sua estranha aparência, esperando que a alta sociedade a que pertence feche os olhos a tão grande despropósito. Os anos vão passando, e para Benjamim crescer equivale a desenvelhecer. Quando atinge os cinquenta anos uma rapariga de vinte apaixona-se por ele e chegam a casar e a ter um filho, mas quando Benjamim se torna mais novo, com vinte anos, desapaixona-se da mulher, entretanto velha e em processo de decadência. O tempo vai passando e agora Benjamin experimenta as agruras da adolescência, as humilhações de não ser adulto até que se torna criança. Uma vida inusitada que contraria a ordem natural das coisas até ao inevitável fim.

A vida do avesso. Assim é "O estranho caso de Benjamin Button".

Sei que muitos de vocês já assistiram ao filme estrelado por Brad Pitt chamado "O curioso cado de Benjamin Button" baseado nesta obra literária e confesso que quando comecei a ler este livro, esperava algo extraordinário, encantador e que prendesse o leitor de uma forma que este não conseguisse largar a história assim como a minha experiência com o filme. No entanto, logo no início percebi que as histórias do livro e do filme são muito diferentes. Com certeza o filme é mais rico em detalhes e sentimentos. 

A narrativa é sim interessante mas foi narrada de uma forma extremamente resumida, com poucos detalhes da vida das personagens, poucos detalhes de como a personagem principal se sentia com a sua vida do avesso.  Na minha opinião, o livro não passa de uma história diferente, e excêntrica.

Contudo, há na obra uma grande crítica social para com à rejeição sofrida por Benjamin, ao mesmo tempo que faz com que o leitor se pergunte: será que estamos presos à nossa idade? Nossa idade nos limita às nossas escolhas? Será que a vida seria melhor aproveitada se já nascêssemos mais velhos? Ficam as perguntas no ar!

Nossas vidas são definidas por oportunidades, mesmo as que perdemos.




Vou deixar aqui o trailer do filme, para quem ainda não assistiu é um ótimo filme para se refletir sobre nossas vidas!


Nenhum comentário:

Postar um comentário