}

quinta-feira, 8 de junho de 2017

[RESENHA] A Rebelde do Deserto - Alwyn Hamilton

Por: Ana Luiza Berger

Olá pessoal, hoje trago mais uma fantasia pra vocês, A Rebelde do Deserto é com certeza meu favorito. Pra quem ficou curioso ou já leu A Maldição do Tigre vai se encantar com esse livro, repleto de ação, magia e uma pitadinha de romance. 

A Rebelde Do Deserto

ISBN-13: 9788565765992
ISBN-10: 8565765997
Ano: 2016 / Páginas: 283
Idioma: português
Editora: Seguinte

Disponível em: http://amzn.to/2scPcF1

Sinopse: O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher. 
Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele. 

Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por lhe revelar o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.

O deserto muitas vezes pode ser um lugar de grandes perigos mas também que esconde grandes maravilhas e seres misteriosos dotados de magia. Amani é uma garota esperta e corajosa que sonha com uma vida fora da Vila da Poeira, um lugar com poucas oportunidades e recursos  onde as pessoas precisam racionar comida para sobreviver e mulheres são submissas aos seus maridos e forçadas a se casar. Morando com seus tios e primos, a garota planeja escapar dessa vida e seguir para Izman, cidade maravilhosa em que sua mãe vivia contando histórias e planejava levar a filha até la para uma vida mais digna e com mais conforto.  

O mais longe que eu conseguia chegar era quando minha mãe contava histórias de ninar de Izman. Isso só acontecia quando meu pai não podia escutar. A cidade dos mil domos dourados, com torres que arranhavam o azul do céu e tantas histórias quanto pessoas. Um lugar onde uma garota poderia pertencer a si mesma, uma cidade inteira tão rica de possibilidades que você quase tropeçava em aventuras na rua.

Após uma competição de tiros onde, a garota planejava conseguir o dinheiro para sua passagem pra cidade maravilhosa, nem tudo sai como planejado e ela conhece um misterioso forasteiro que também possui habilidade para atirar e também busca algo. O torneio é interrompido por um grupo de rebeldes e os planos de vencer para ganhar o dinheiro pra passagem são interrompidos e ela tem que voltar para sua vila para planejar outro método de fuga.

Olhei para a saída, mas a briga já tinha se espalhado. Não tinha como escapar por
ali. O forasteiro e eu levantamos, as costas contra a parede. Tinham nos esquecido — a
confusão não era mais por nossa causa. O celeiro inteiro enchia de fumaça. Sufocaríamos
em pouco tempo.
 Após aquela noite desastrosa, a vida pacata na vila da Poeira volta a fazer parte de Amani, todos os dias levantar pra trabalhar na loja dos tios e lidar com todas as ofensas e desaforos vindos daquela família. Mas ela não se deixa abater e sua vontade de sair de la permanece e a mantém firme.

A única coisa de que eu gostava na Vila da Poeira era o enorme espaço ao redor dela. Indo além das casas sem graça de madeira, dava para correr por horas sem encontrar nada além de arbustos e areia. Agora eu me ressentia de como a cidade era longe de qualquer outra coisa. Mas quando eu era mais nova, correr para longe era o bastante.


Em meio a confusões e distrações, ela vê outra oportunidade para sair daquela vida e ir atrás do seu sonho mesmo que ela não saiba o que a espera em Izman e tenha que enfrentar grandes perigos e desafios pela frente.

"E quem disse que existe algo lá fora pra você? Essas palavras doeram. — Deve ter mais do que isso — eu disse, arrancando uma risada dele. Aproveitei essa abertura. — Por favor… — Eu estava tão perto quanto poderia ficar sem que nos tocássemos. — Você nunca quis algo com tanta força que se tornou mais do que um simples desejo? Preciso sair desta cidade. Preciso disso tanto quanto preciso de ar."

Será que ela vai conseguir sair dessa vida infeliz e submissa, escapar de um casamento forçado e seguir seus sonhos?  E o forasteiro misterioso, será que ele veio pra ajuda-la ou será mais uma pedra no caminho da garota dos olhos azuis?

O livro possui um cenário maravilhoso, narrando as lendas e histórias do deserto e suas criaturas fantásticas como os Buraqis, cavalos que saem das areias e são criaturas difíceis de serem capturadas, os Djins, seres perigosos que praticam magia e que se apaixonam por princesas, as criaturas denominadas pesadelos que vagam na escuridão procurando vítimas no deserto para se alimentar de seus medos, e rebeldes que buscam um novo mundo longe de injustiças, fome e desgraças contra o seu povo. 
A leitura é muito envolvente, o cenário do livro contagia o leitor de forma a se maravilhar com tudo que o deserto apresenta. A mitologia apresentada é incrível de forma que o leitor se sinta atraído não só pelo enredo mas pelas histórias que são contadas também pelos próprios personagens e toda a trama que vai sendo desenvolvida. 
Um dos pontos mais interessantes, foi o modo como mostra a submissão das mulheres ali na Vila da Poeira, mulheres que são submissas aos homens de forma que se sintam até mesmo inferiores, a forma como são exploradas e a maneira em que o autor do livro coloca a personagem principal Amani como um exemplo de superioridade e libertação da mulher diante de todas as situações difíceis que passa. Outras personagens também são mostradas como símbolo de força e liderança, personagens que apesar da opressão que sofrem, vão em busca de "uma nova alvorada". Achei incrível a forma que o livro representa a imagem da mulher, o que ela pode se tornar e buscar com as próprias mãos.
A personagem principal para mim foi muito bem construída e desmitificou qualquer conceito errado criado naquele povoado e até mesmo fora da ficção sobre o sexo feminino. A luta da garota e toda a sua determinação é inspiradora e admirável se tornando uma das minhas personagens favoritas até agora. 

— Um novo deserto! — Dezenas de vozes responderam, entrecortadas e fora de ritmo. — Uma nova alvorada! Um novo deserto! — O grito ecoou por Fahali, milhares de vozes mirajins juntas em coro. Um cântico por seu príncipe, por seu herói, por todos nós."

Capa do livro 

A primeira chamada do livro são suas cores diferentes e o trabalho em cores especiais entre dourado e azul turquesa. As cores trabalham efeitos de volume em degradé tanto nas laterais quando seu centro, esse trabalho de cores dessa forma trás a questão de movimento fazendo lembrar de dunas do deserto (reforçado pela a própria imagem central) extremamente enfatizado no centro da capa como vislumbre de fundo.

A tipografia utilizada é comum em filmes antigos quando se referem a deserto e contos Árabes, o trabalho das cores com tonalidades escuras e claras do azul reflete a cores e visões da noite onde ao fundo temos silhuetas de uma pessoa montada no cavalo e ao fundo de um palácio árabe de cunho mundialmente conhecido.

A capa em seu todo trás informações de ser um livro de fantasia, trabalhando miticismos em um contexto de deserto e área árabe, lembrando do seu título e a silhueta da pessoa montada ao cavalo como uma aventura.

Não deixem de ler essa obra maravilhosa e pra quem gostou de A Maldição do Tigre não pode deixar de ler esse livro.


Leia Também:
A Maldição do Tigre
A Rainha Vermelha
O Circo Mecânico Tresaulti



3 comentários:

  1. Livro com capa muito bonita, seu conteúdo para fantástico, em questões de aventura e fantasia, aparentemente usa muito a questão social e cultural real dessas áreas do oriente médio. Muito bom em ver uma personagem forte e feminina nessa aventura de rebelião e miticismos. Muito boa a resenha!

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei esse livro, além de ter uma capa linda, tem uma história realmente maravilhosa. Amo fantasia e estou louca para ler o segundo.
    Linda resenha.
    beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Que capa linda. ❤ Esse livro parece maravilhoso! Sua resenha me fez ficar super curiosa e ansiosa pela leitura. Ótima resenha e ótima escrita. Parabéns!

    ResponderExcluir