}

domingo, 28 de fevereiro de 2016

[RESENHA] Filme:O quarto de Jack

Por Amanda Medeiros


Olá queridos! Espero que estejam maravilhosamente bem e que vocês gostem da dica de filme de hoje.
Hoje a resenha é um pouquinho diferente, não é sobre um livro, mas sim sobre o filme "O quarto de Jack" que rendeu à atriz Brie Larson a indicação ao Oscar de melhor atriz.

**Atenção: Contém spoiller do filme!**

O quarto de Jack


Sinopse: Jack (Jacob Tremblay), um espirituoso menino de 5 anos, é cuidado por sua amada e devota Ma (Brie Larson). Como toda boa mãe, Ma se dedica em manter Jack feliz e seguro, cuidando dele com bondade e amor, e fazendo coisas típicas como brincar e contar histórias. Sua vida, entretanto, é tudo menos normal – eles estão presos – confinados em um espaço de 10 m² sem janelas, o qual Ma chamou eufemisticamente de “O Quarto de Jack”. Ma criou todo um universo para Jack dentro de O Quarto de Jack, e ela não parará por nada para garantir que, mesmo neste ambiente traiçoeiro, Jack seja capaz de viver uma vida completa e satisfatória. Mas, enquanto a curiosidade de Jack sobre a situação em que vivem cresce, e a resiliência de Ma alcança um ponto de ruptura, eles ensaiam um arriscado plano de escape, o que os leva a ficar face-a-face com o que pode ter se tornado a coisa mais assustadora: o mundo real.


"O quarto de Jack" foi um filme que me emocionou muito e que me rendeu várias lágrimas durante as duas horas de filme. Como todos puderam imaginar lendo a sinopse, Ma, a mãe de Jack, é mantida em cativeiro há 7 anos. Jack, seu filho, nascido em cativeiro, acredita que o mundo se resume a ele, sua mãe e ao velho ick que as vezes os visita durante a noite. Tudo o que existe fora do quarto é fantasia, tudo é uma criação fantasiosa. Ao passo que Jack começa a crescer e ficar mais velho, as curiosidades sobre o mundo, o espaço e as coisas reais começam a ficar mais presentes. Assim, sua mãe se vê obrigada a contar a verdade ao filho e elabora um plano para conseguirem escapar do Quarto.  Normalmente os filmes param por ai, eles conseguem fugir, a mãe reencontra a família, o responsável é preso e tudo fica bem. Chegamos ao "felizes para sempre".

É neste ponto que "O quarto de Jack" se diferencia. Ele vai muito além e mostra a realidade do que a vida em cativeiro pode causar a uma pessoa que sobrevive a ele. Este filme mostra a readaptação da mãe ao mundo real e o medo de Jack ao conhecer coisas por ele nunca antes experimentadas. Até então existia apenas a relação Mãe-Filho-Quarto. Uma simbiose entre os três. Apesar do desejo da mãe de não estar mais ali, os três viviam de forma única, a forma com que encontraram de viver em paz. Neste filme, consigo ver o Quarto como uma personagem importante, já que aquele era o "mundo" de Jack. É como se eles não existissem sem o Quarto.

O quarto de Jack -estreia 18 de fevereiro, 2016- com certeza é um filme de emocionar a todos. O amor de mãe e filho, uma simbiose que precisa ser quebrada, O quarto que precisa ser esquecido (ou não), um passado que precisa ser recuperado. O quarto de Jack é um filme que apesar de logo haver uma tensão inicial vai muito além do "e foram felizes para sempre" após a resolução deste conflito. Um filme que mostra uma realidade nunca contada, um filme diferente de tudo o que já vi. Recomendadíssimo para quem quer assistir a duas horas de pura emoção!

Nenhum comentário:

Postar um comentário